terça-feira, 8 de agosto de 2017

A propósito da Comissão de Festas de Nossa Senhora da Conceição de Barrancos

Os preparativos das Festas de Barrancos começam um ano antes, logo após terminar a festa anterior. Segundo a tradição, a organização está a cargo de uma Comissão de Festas composta por elementos do sexo masculino (festêros, em barranquenho), escolhidos ou designados pela comissão cessante. A divulgação pública dos "festêros" ocorre no final da missa solene do dia 28 de agosto, um dos primeiros rituais das Festas.
Tradicionalmente, como foi dito, a comissão de festas tem sido composta por cinco elementos do sexo masculino, mas não há nada que impeça um modelo de organização diferente: alargando o seu número (6, 7, 8 ou mais elementos) ou, ainda, composição paritária. Aliás, a discriminação em função do género (sexo) parece-me violadora do nº 2 do art. 13º da CRP, pelo que nada impede que a comissão de festas seja composta por festêros e festêras.
Igualmente, dada a multiplicidade de funções, parece-me exequível e até desejável, o alargamento do número de membros da comissão de cinco para, por exemplo, sete membros. As tradições não são imutáveis, e no caso de festas de Barrancos outros rituais foram sendo alterados ao longo dos tempos, sem que tenha sido colocada em causa a essência da festa.
Com uma longa tradição, e marcadas pelas corridas com touros de morte, legalizadas em 2002, as Festas de Barrancos refletem a identidade cultural local, bastante influenciada pela localização, proximidade e contactos com Espanha. Com a alteração da composição da comissão de festas, alargando o número de elementos ou integrando os dois sexos, promove-se a inovação da tradição, que não são incompatíveis, podendo estar intrinsecamente ligados.

4 comentários:

Anónimo disse...

Estou de acordo que há que manter as tradições mas também temos que acompanhar a realidade, antes toda a gente ia bailar nos espetáculos Noturnos e hoje já se consegue contar, também temos que ver que quem faz a festa é a malta jovem e que todos dizem o mesmo (sempre orquestra espanhola) e troca o tradicional baile por umas portas de bares, e já acaba por não ajudar a comissão de festas, qualquer Dj acaba por ser mais económico e mais rentável para as organizações

IANTT disse...

Renovarse, o morir.... esa es la cuestión.
Soy partidario de mantener las tradiciones, pero también de que es necesario incorporar los nuevos tiempos, siempre que no afecte en lo principal de las tradiciones.

Jose Carlos Durao disse...

Completamente de acordo,acrescentaria que a incorporação femenina,poderia ser originaria da integração das duas Comissoês,a do dia 8 de Dezembro que é só de senhoras e a de Agosto,ambas celebrações são em Honra de N.S. da Conçeição,poderiam obter-se ganhos em todos os sentidos(de partiçipação popular;de trabalhos repartidos e financeiros majorados,etc


anangel disse...

Completamente de acordo. Nunca percebi o porquê de serem só rapazes...