terça-feira, 4 de outubro de 2022

Festival de Caminhadas TransAlentejo 2022 - 16 de outubro (em Barrancos)

Inscrições para residentes em Barrancos:
Posto de Turismo até 12-10-202
Telf. 285 950 641 - Email: cmb.turismo@cm-barrancos.pt   

A Turismo do Alentejo ERT promove a 2.ª edição do TransAlentejo Walking Festival, uma iniciativa que conta com a organização do Portugal Walking Festival e que visa dar a conhecer os 50 percursos pedestres, promovendo a Rede de Percursos Pedestres TransAlentejo, distribuída pelos 47 municípios da região.

segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Decisões da assembleia municipal de Barrancos de 30 de setembro de 2022

A assembleia municipal de Barrancos, reunida no passado dia 30 de setembro, sexta-feira, em sessão ordinária, no auditório municipal de Barrancos, entre as 21h34 e as 22h08, resolveu o seguinte:

1 – Aprovar a ata da reunião de 27/06/2022

2 – Tomar conhecimento da Informação nº 21/2022/UAF/SGF, de 14/9, sobre a "relação dos contributos plurianuais"

3 – Tomar conhecimento da Informação nº 1/2022/UAF/STL, de 19/9, sobre a "Relação de isenções e reduções concedidas"

4 – Tomar conhecimento de expediente diverso e prestação de informações ou esclarecimento sobre o mesmo

5 – Tomar conhecimento da informação escrita do presidente da CMB e análise da situação financeira do Município

6 – Aprovar, por unanimidade, um “voto de pesar pelo falecimento do antigo presidente da câmara municipal de Barrancos, Carlos Caçador Durão”

7 – Aprovar, por maioria, sob proposta da CMB, a 2ª revisão orçamental de 2022

8 – Aprovar, por unanimidade, a proposta da CMB de fixação das taxas sobre prédios urbanos para 2023

9 – Aprovar, por unanimidade, a proposta da CMB, de nomeação de Carlos Manuel Charneca Moleirinho Grenha, como revisor oficial de contas do Município de Barrancos

10 – Aprovar, por unanimidade, a proposta da CMB, de “1ª alteração ao Regulamento Municipal da Ação Social Escolarde Barrancos

11 – Aprovar, por unanimidade, sob proposta da CMB, o novo “Regulamento Municipal de atribuição de bolsas de estudoa alunos do ensino superior residentes em Barrancos

12 – Aprovar, por maioria, a proposta da CMB que autoriza a desafetação de uma parcela de terreno do domínio público para o domínio privado do Município, sita na zona do Pinhão

Nota

1 - Estiveram presentes 14 dos 16 elementos que compõe a AMB, os cinco membros da CMB, e uma dirigente municipal.
2 - Não havia público,
Barrancos, torre do relógio,
(Foto: eB, 29-09-2022)

sábado, 1 de outubro de 2022

Governo "acabou por decreto com a pandemia Covid 19"?!

O governo decidiu  não renovar a situação de alerta em Portugal Continental devido à pandemia e procedeu à cessação de vigência de decretos-leis publicados, no âmbito da pandemia da doença COVID-19. 

Segundo ministro da saúde, “a reversão da situação de alerta não significa porém que a pandemia de covid-19 está ultrapassada”. Temos que continuar a "vigiar a evolução da doença e conferir prioridade à vacinação, em especial das pessoas que estão em maior risco”, afirmou.

Aqui perto, na Póvoa de Sº Miguel... hoje, 1 de outubro (sábado), às 16h30

 

sexta-feira, 30 de setembro de 2022

Barrancos 2022 - "Uno de los festejos taurinos tradicionales"

(...) 2022 marcó la vuelta tras la pandemia - La Fêra de Barrancos en el recuerdo, ahora que caminamos hacia el Invierno (...)

Extrato, dos breves apuntes de Ester Tereno, para ler na integra na revista Tribuna da Tauromaquia, de 26/09/2022.

Finalizada la faena, cortados los trofeos, el torero es aclamado en la plaza central de Barrancos

quinta-feira, 29 de setembro de 2022

A língua e a cultura Barraquenha - na rádio Pax

Fonte: CMB

Arrendar casa por 1 euro ... para dar vida ao inteiror!

Vários municípios italianos têm lançado iniciativas de venda de casas por 1 euro, com o objetivo de dar uma nova vida ao interior do país. E agora há uma nova forma de estimular a repovoação do coração de Itália, "arrendar casa a 1 euro/dia". 

A iniciativa é promovida pelos municípios italianos de zonas despovodadas que, ao abrigo de um programa especial, procederam à aquisiçáo de algumas casas abandonadas, que reabilitaram para arrendar.

E se, de repente, esta iniciativa fosse (re)aplicada em Barrancos, não ainda pelo Município, porque não tem casas, nem programa financeiro para tal (por enquanto), mas por alguns dos proprietários de prédios devolutos, muitos destes à venda?

Vista parcial de Barrancos
(Foto: Arquivo, eB, 2016)

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Assembleia Municipal de Barrancos - 4ª sessão ordinária comvocada para 30 de setembro (21h30)


(Foto: eB, 28-09-2022)

"O Central", o café da praça - Quem não sente a sua falta?

A praça grande de Barrancos, o centro da Vila, está mais pobre. Despovoado. Sem vida. O café Central encerrou em meados de agosto, reabriu com gerência provisória na fêra, fechando novamente no primeiro dia de setembro.

Logo nos primeiros dias de janeiro de 2018, depois de uma longa agonia, encerrava definitivamente a sociedade dos Ricos.  Em setembro de 2022 será a vez do café "Central? O café dos pequenos almoços bem cedo, que o eB destacava em 2017, chegou ao fim!?

Entretanto, na janela do estabelecimento, consta a indicação de "fechado para limpezas". Que assim seja!

a zona do café Central, ao lado da praça, já sem a tradicional esplanada, de há mais de uma década
(fotos: eB, 21-09-2022)
o tradicional café matinal, no Central, com vista para a praça, poderá não mais acontecer
(Foto: Arquivo eB, 23-08-2019)
na janela o aviso "fechado para limpezas"
Foto: eB, 21-09-2022

terça-feira, 27 de setembro de 2022

Universidade Popular "Túlio Espanca" (Barrancos) - inscrições até 4 de outubro

 

Espetáculo em Las Ventas com touro de Couto de Fornilhos devolvido aos curros "por falta de forças"

Florito (vedor de La Ventas), saltando al callejón con el toro de Couto de Fornilhos tras él.
© Luis Sánchez Olmedo

De acordo com o jornal "Cultoro", desta data, "el hecho sucedió este domingo en la plaza de toros de Las Ventas: una vez devuelto el sexto toro y después de que se corriese el turno, salió un astado de la divisa de Couto de Fornilhos, que también fue devuelto en el tercio de banderillas por su descarada falta de fuerzas. Fechas atrás, en este medio, hablábamos sobre la figura de Florito y su importancia en la primera plaza del mundo, algo que se volvió a constatar este 18 de septiembre tras tener que salir hasta en cuatro ocasiones con su parada de cabestros."

Ainda, segundo o jornal, "pero el animal que pastaba en ‘Mercês’ - Barrancos (Portugal) - no puso las cosas fáciles, arrancándose en varias ocasiones a Florito y obligando a este a tomar el olivo. Gracias a la pericia y al conocimiento de los terrenos y querencias, se consiguió que el animal entrara finalmente en los corrales."

segunda-feira, 26 de setembro de 2022

Apreciação pública do novo regulamento de bolsas de estudo para o ensino superior termina a 27 de setembro

O prazo de apreciação pública do novo Regulamento municipal de bolsas de estudo para o ensino superior, que o Município de Barrancos pretende aprovar, termina amanhã dia 27 de setembro.

Foto: Daqui

Restaurante "A Esquina" (Barrancos) - "guardião das receitas e dos ingredientes de outrora"

No mesmo dia em que anunciava aos clientes e amigos que se "encontra temporariamente encerrado"*, o semanário Expresso publica um suplemento "Manual .. à Mesa" que dá destaque à cozinha tradicional do restaurante "A Esquina", de Barrancos, "um dos guardiões das receitas e dos ingredientes de outrora".

(* que seja rápida a recuperação do R, para que seja curto o encerramento)

suplemento do Expresso, 23-09-2022

quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Dia Europeu das Línguas - o "Principezinho" lido em Barranquenho, dia 23 de setembro às 11h35

Para celebrar o Dia Europeu das Línguas, que decorre amanhã, dia 23 de setembro, os alunos de seis escolas da raia -  Barrancos, de Caminha, de Tui, de Miranda do Douro, de Valverde del Freso e de Ayamonte - vão estar em rede para a leitura do "Principezinho", na línguas locais, às 11h35.

A leitura, está integrada no Seminário em linha «As línguas da raia», que começa às 10h00 (online), na qual participa o professor Vitor Correia, da escola secundária de Beja, mestrando e investigador do barranquenho.

Uma mina contra o montado e a vida neste ...

 A propósito do projeto mineiro de Valdegrama, abaixo se publica o artigo conjunto de António Eloy, Félix Talego, Juan Diego Perez e Pedro Soares, que tem o apoio do eB:

"Uma mina contra o Montado e a vida neste

Hortas centenárias, herdades de montado de sobreiros, azinheiras, castanheiros e carvalhos, linhas de água que estruturam estes territórios e que ligam a Ibéria estão ameaçadas.

Mais de mil e setecentos hectares da Serra Morena (municípios de Cortegana, Almonaster la Real e Aroche) bordejando o “Paraje Natural” da Serra Pelada e da Ribeira do Serrador e uma das principais zonas de nidificação do abutre negro na Europa estão ameaçados pelo projecto mineiro de Valdegrama (em fase de investigação). Portugal aqui tem pé!

As comarcas portuguesas e andaluzas cujo solo é percorrido pala faixa pirítica acumulam experiências dos efeitos destrutivos do extractivismo mineiro, emissões ácidas (chamada manta), erosão e desertificação dos solos e sobretudo contaminação das águas superficiais e subterrâneas por escorrimentos ácidos, com efeitos cumulativos no tempo. Os exemplos da contaminação do Sado pela mina de Aljustrel (e para quando um estudo médico da contaminação por arsénio, com elevados níveis, que afecta o crescimento das crianças nesta zona?), da ribeira do Mosteirão, afluente do Chança, contaminada pela de São Domingos, ou os rios Odiel e Tinto com concentrações tóxicas em certos troços e só adaptadas para bactérias extremófilas, e o rio  Guadiamar que cheio de lodos acumulados levou à ruptura do muro mineiro de Aznalcóllar, um dos maiores desastres ambientais na Península, afectando uma área imensa e o Parque de Doñana.

No Alentejo e na Andaluzia temos uma pesada herança da minaria transnacional (também com muitos mortos no seu activo!) e enormes, enormes passivos ambientais e prostração económica e social. A pegada de um século e meio de mineração nas nossas terras levou não só a vida dos nossos rios, a abundância do arvoredo autóctene e a diversidade da vida agropecuária e da biodiversidade com ela relacionada mas também a memória do passado, os relacionamentos sócio-culturais  desta área.

Hoje a Geoland propõe-se extrair grafito ou minerais como o cobre, níquel e outros sulfuros polimetálicos característicos desta faixa, sabendo nós que a mineração destes metais não ferrosos é altamente contaminante, pois espalha pelas superfícies elementos como o enxofre e metais pesados, sobretudo quando feita a céu aberto. Mas qual, qual seria o benefício para as nossas terras?

Esta exploração do subsolo, sem cuidar do direito de superfície, só serve para alimentar os capitais financeiros, a especulação desenfreada em bolsa e a voracidade de um industrialismo sem horizontes nem sustentabilidade (porque não investir e isso sim criaria postos de trabalho, na recuperação e reciclagem destes minérios?)

É que nada ou quase vai sobrar deste fogacho a não ser a dependência de lógicas, limitadas no tempo, de minas e os eucaliptais que lhes sucedem, dado que a devastação por enxofre empobrece os solos e impossibilita alternativas, por mais que projectos de turismo temático nos procurem levar a Marte ( como em Rio Tinto onde andamos vestidos de astronautas em paisagens arrasadas).

Passeando pelas zonas de povoados mineiros vemos miséria que deixou evidente, nestas terras sacrificadas, a falaz publicidade destas companhias que liquidam o futuro e qualquer sustentabilidade no presente.

Este novo afã extractivista percorre, corrompe inexplicavelmente as chefias de todos, quase todos, os partidos ibéricos, que se sintonizam com os interesses (e os pagamentos?) das empresas mineiras (muitas só existem de fachada ou com um armazém nos EUA).

Temos que denunciar o projecto Valdegrama e outros nessa linha pois correspondem ao ultrapassar de uma das últimas fronteiras da mineração no Sudoeste ibérico, seja pelos elevados consumos de água seja pelos escorrimentos ácidos que acabam com os pequenos recursos hídricos, poços e aquíferos ainda a salvo de Democles, da espada do mesmo.

Situado junto a três olhos de água e perpendicular ao aquífero Aroche-Jabugo , um dos mais importantes da Serra Morena, resultante de uma fractura de rocha granítica e por tal muito vulnerável à contaminação, a ribeira de Alcalaboza é ainda pristina do nascimento à Foz no Chança, livre de qualquer poluição industrial. A sua contaminação por metais aumentaria a lista de rios doentes ou mortos do Sudoeste, e comprometeria a saúde da água que abastece a zona mais povoada de Huelva e do estuário do Guadiana.

Claro, com as mentiras e demagogia que os caracterizam, os mineiristas juram que não haverá contaminação (mas a lista de mortos e deficiências e doenças, além da destruição das terras e dos recursos os persegue), e até dizem que isso era de antes que (agora?) têm tecnologias de ponta que permitem uma mineração inócua (de ficção científica! Em Marte) e que defendem a biodiversidade e até a transição verde.

Mas não vamos em contos de fadas a realidade já acabou com esses há muito.

As autoridades portuguesas e espanholas têm que ouvir a razão, o ambiente e os que queremos continuar a viver no território que fizemos do matorral, a dehesa e o montado, as vilas nos planos e aldeias serranas.

É necessário que este projecto seja analisado pelos dois países, além do Estudo de Impacte Ambiental, sendo que nesse como é óbvio as autoridades portuguesas também se terão que se pronunciar.  Desde já as autoridades portuguesas deveriam, ora por este meio também informadas, fazer saber ao Governo espanhol que em nenhum caso a Convenção de Albufeira (independente de pensarmos que esta deve ser modificada e aumentar as exigências ambientais e compaginar-se com a  Directiva Europeia da Água), repetimos: em nenhum caso a Convenção e o direito internacional podem ser infringidos.

Vamos manter Alcalaboza Viva, tal é cumprir o direito e a vida que também é por ele moldada.

António Eloy, escritor, coordenador do Observatório Ibérico de Energia
Felix  Talego, Prof. Universidade de Sevilha
Juan Diego Pérez, Prof. Universidade de Huelva
Pedro Soares,
Geógrafo, Prof. Universitário, ex-presidente da Comissão Parlamentar de Ambiente"
montado da zona de Alcalaboza, Cortegana
(Foto: Cortegana)


quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Alunos de Barrancos começaram o ano letivo 2022/2023

Está "inaugurado" o ano letivo 2022/2023 do Agrupamento de Escolas de Barrancos. As receções à comunidade escolar decorreram nos passados dias 15 e 16 de setembro.

No dia 15, às 10 horas, o jardim-de-infância recebeu as crianças e os pais/encarregados de educação, explicando e dando conta de novos e velhos procedimentos, integrando os grupos em duas salas de atividades, com as respetivas educadoras e auxiliares. Na educação pré-escolar funcionam as "atividades de animação e apoio às famílias", conhecidas por AAAF, que tem como missão assegurar os apoio às famílias antes do inicio das atividades educativas (8h00-9h00), durante o almoço (12h30-14h00), bem como no prolongamento de horário (15h30-17h30). As AAAF são asseguradas por quatro animadoras/auxiliares, sendo necessário inscrição prévia.

Às 11 horas, foi a vez de receber os alunos e os encarregados de educação do 1º ciclo (do 1º ao 4º anos de escolaridade), que constituem três salas de aula na sede do agrupamento. Neste nível de escolaridade, funcionam também como apoio complementar, a Componente de Apoio à Família (CAF), muito semelhante às AAAF, e as Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), neste caso a partir das 15h40. 

A CAF, as AEC (do 1º ciclo), tal como as AAAF (na educação pré-escolar), são atividades promovidas pelo Município de Barrancos, sob a supervisão técnico pedagógica do Agrupamento Escolar de Barrancos, carecendo também de inscrição prévia para participação do aluno.

No 2º ciclo (5º e 6º anos de escolaridade), a receção decorreu no dia 16, às 10 horas, sob a responsabilidade dos respetivos diretores de turma, também com a participação dos encarregados de educação.

A receção ao 3º ciclo (7º a 9º anos de escolaridade), decorreu no mesmo dia, com início às 14h30, também através dos diretores de turma.

Nos momentos de receção aos alunos e aos pais/encarregados de educação, estiveram presentes, para além do diretor e do subdiretor do agrupamento escolar (Bento Caldeira e Francisco Bossa), o presidente e a vice-presidente da CMB (Leonel Rodrigues e Cláudia Costa), acompanhados pelos técnicos do serviço municipal de educação (Jacinto Saramago e Elsa Rodrigues). 

Neste primeiro dia de aulas, todos alunos do 1º ao 3º ciclos receberam as fichas de atividade oferecidas pelo Município. Os manuais escolares, também gratuitos, já tinham sido levantados pelos encarregados de educação, seguindo as orientações do respetivo ministério.

Recorde-se que, desde 1 de abril de 2022, por força das transferências de competências do ministério da educação para os Municípios, a câmara municipal de Barrancos passou a assumir, entre outras, as competência de gestão nos domínios da ação social, material escolar, refeitório escolar, atividades de enriquecimento curricular (AEC) e componente de apoio à família (CAF), desde a educação pré-escolar ao 9º ano de escolaridade.
momentos do início do ano letivo 2022/2023
(Fotos: eB, 15-09-2022)

terça-feira, 20 de setembro de 2022

O céu de Barrancos visto desde os BVB

20/09/2022, 7h00
20/09/2022, 18h45
(Fonte: webcam Meteoalentejo)

Assembleia de Freguesia de Barrancos - convocada a 3ª sessão ordinária para 27 de setembro de 2022

Fonte: JFB
(Foto: eB, 19-09-2022)

VII Bênção dos Capacetes em Fátima com a presença dos "Pata Negras" de Barrancos

No passado dia 18 de setembro (domingo) milhares de motociclistas levantaram os seus capacetes para serem benzidos no santuário de Fátima, o que não acontecia desde 2019, devido à Pandemia.

Os motociclistas que foram até o santuário em busca da proteção divina, entre os quais um delegação do nóvel Moto Clube de Barrancos "Os Pata Negras", contaram também com uma mensagem do Papa Francisco: “O papa Francisco saúda afetuosamente os participantes, encorajando-os na fidelidade à sua vocação de batizados, a exercerem com generosidade a sua missão de garantir um ambiente seguro para que cada cidadão possa viver em paz e serenidade, não só prevenindo, gerindo, ou pondo fim aos conflitos, mas contribuindo para a construção de uma ordem fundada na verdade, na justiça, no amor e na liberdade”.
delegação de Barrancos 
Pormenor do Santuário de Fátima - benção dos capacetes, 18-09-2022
(Fotos: diversos)

segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Agrupamento de Escolas de Barrancos - recruta docentes de Inglês e EVT (m/f)

 Aviso de abertura de concursos (data limite das candidaturas 22/09/2022):

Contratação-de-Escola-2022-2023 - Inglês - GR-330-horário-n.º-2

Contratação-de-Escola-2022-2023 - Educação Visual e Tecnológica - GR-240-horário-n.º-13

Contratação-de-Escola-2022-2023 - Inglês do 1ºciclo E. Básico - GR-120-horário-n.º-14


"Descentralização" - como tem razão o Isaltino!

Tem toda a razão o Isaltino, na carta aberta que escreve à presidente da ANMP (Associação Nacional de Municípios Portugueses) Esta "descentralização" está a libertar o governo dos assuntos polémicos ("odiosos"), transferindo-os para os Municípios, que passam a ser os pagadores (financiadores) do desastre e recebedores de queixas das populações, sem capacidade e competências para as resolver.

Entretanto, em janeiro de 2023 os Municípios recebem mais um "pacote" de transferências, a ação social, uma das competências mais complexa a nível técnico, administrativo e logístico, politicamente mais polémica, e financeiramente desastrosa.

capa do semanário SOL, de 17-09-2022

sexta-feira, 16 de setembro de 2022

Barrancos FC (benjamin) - jogam amanhã no Triangular (Amareleja) - a partir das 10h00

 

É necessário "olhar" para as redes de distribuição de água, que têm "50 anos, ou até 70 ou mais nalgumas localidades"!

Nada que não soubesse qualquer cliente de água, por exemplo de Barrancos! Mas, dito pelo vice-presidente da CCDR Alentejo, Aníbal Costa, tem outro peso: (...) As entidades públicas têm também que se entender no que à aposta na melhoria das envelhecidas redes de distribuição de águas, diz respeito. Não é aceitável que continuemos a perder 30, 40 ou mesmo 50% da água por via de um muito deficiente estado de instalações de distribuição de água (que na maior parte dos casos têm quase 50 anos e noutras localidades de maior dimensão 70 ou mais!). Deverá existir uma aposta (que terá que ser financiada por várias formas) neste domínio, o quanto antes. (...)

A dúvida está em saber quem paga, e quando começa a obra, porque Portugal está com uma década de atraso. No caso de Barrancos, o PERU/PARU, iniciado em 2016, já contempla remodelações de condutas distribuidoras ao mesmo tempo que promove a regeneração urbana. Mas não parece que seja suficiente.

Deve aqui, neste processo, tal como sugerido pelo dirigente da CCDR Alentejo, ser criado, urgentemente, um  programa financeiro de âmbito nacional destinado à substituição  (remodelação) dos sistemas de redes de distribuição domiciliária de água, com a consequente redução de perdas. 

As perdas, são outro problema que poucos Municípios monitorizam, que nalguns sistemas de distribuição chegam a ser superior a 50%, segundo a entidade reguladora (ERSAR). Ou seja, nestes casos, um Município/Entidade Gestora compra 10 m3 de água, mas não consegue faturar mais de cinco m3! Os outros cinco, ficam perdidos na rede, com custos para os contribuintes!

obras - sistema de abastecimento de água e saneamento básico de Barrancos
Pormenor dos ramais domiciliários na R Dr. Higino de Sousa, Barrancos, 1980/1981)
(Foto: Arquivo eB