sexta-feira, 16 de novembro de 2018

CIMBAL - tomada de posição contra encerramento de estações CTT

A CIMBAL (Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo), reunida em Moura no passado dia 12 de novembro, deliberou, por unanimidade, "manifestar o seu total desacordo sobre o encerramento das estações de correio do Baixo Alentejo ou a sua transformação em postos de correio".
Na área de intervenção da CIMBAL, a próxima estação de correios com encerramento previsto será  a de Aljustrel.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Barrancos comemora a "Semana Europeia da Prevenção de Resíduos" - de 17 a 25 de novembro

Boletas de Barrancos

Num passeio pelos campos de Barrancos, a observar as azinheiras, reparamos que nem todas tinham boletas. Nalguns locais, praticamente não há nenhuma. Noutras zonas, talvez naqueles terrenos mais férteis,  e por cá são poucos, há azinheiras "carregadas". 
Na capital do Presunto, onde (devia) predomina(r) o porco preto criado de forma extensiva, o montado não pode desaparecer. Mas corre esse risco, se não se fizer nada nos próximos anos.
ramo de boletas (bolotas)
(Fotos: eB, 19-10-2018)

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

FIT Sénior - agora Barrancos vai a Cuba (a 16 de novembro)


Dia Mundial da Diabetes - hoje no centro de Saúde de Barrancos

Foto: eB, 13-11-2018

Os militares barranquenhos na I Guerra Mundial (França) - subsídios para a História de Barrancos

17 de Janeiro de 1917 foi publicado no Diário do Governo, o Decreto n.º 2938, ordenando a concentração de um corpo expedicionário destinado a combater em França (Grande Guerra, 1914-1918)
No Corpo Expedicionário Português (CEP), que esteve em França, composto por cerca de 75 mil homens, estavam 27 jovens barranquenhos - um oficial, um sargento e 25 praças - recrutados, na sua maioria, pelas unidades militares da região - o Regimento de Infantaria nº 17 (Beja) e o Regimento de Artilharia nº 3 (Évora), este último já extinto.
Conforme já referido no artigo anterior, não há relatos de mortos entre os nossos militares. Houve vários feridos em combate, com mais ou menos gravidades e baixas ao hospital; há registos de "desaparecidos"- detidos em campos de prisioneiros na Alemanha (libertados durante, ou só depois do final do conflito); Há também conhecimento dos que participação na batalha de La Lys, a 09/04/1918, onde as forças portuguesas foram trucidadas, mas resistiram tempo suficiente para permitir aos aliados reforçar e suster a ofensiva.
A listagem dos 27 militares barranquenhos do CEP, que lutaram na I Grande Guerra, composta por um oficial, Francisco Garcia Tereno, um dos Heróis da Rotundaum sargento, António Bergano Fialho Prego, e 25 praças, complementada com informação resumida retirada dos boletins militares (do Arquivo Histórico Militar) e dos assentos de nascimento (dos registos paroquiais), publica-se seguidamente, para conhecimento geral.
Esta publicação, para além do interesse público que está subjacente à mesma, constitui uma forma do eB homenagear simbolicamente estes nossos 27 conterrâneos, combatentes na I Grande Guerra (França).
Nota: Caso haja algum lapso na listagem, com troca de nomes e/ou apelidos, 
alguns dos quais já foram retificados durante a transcrição, agradecemos o envio das correções, 
bem como outros dados que considerem de interesse para a História de Barrancos).

embarque no porto de Lisboa, com destino a França
Campo de Prisioneiros de Guerra de Friedrichsfeld, na Alemanha,
onde esteve detido o soldado Militão Abade, entre 09/04/1918 a 16/01/1919
(Fotos: Torre do Tombo - 1ª grande Guerra - imagens)
Militares onde se vê o soldado Domingos Abade Branquinho (1ª esquerda, sentado)
que esteve detido no Campo de Prisioneiros de de Munster II, Alemanha,
entre 09/04/1918 a 17/01/1919
(Foto: Cortesia Barrancos a Minha Terra - facebok)

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Apreciação pública - regulamento da prestação de serviços de gestão dos resíduos urbanos e não urbanos em Barrancos

Foto: eB, 12-11-2018
Pode também consultar aqui a proposta de Regulamento que estabelece as regras a que deve obedecer a prestação do serviço de gestão dos resíduos urbanos e não urbanos, no âmbito do sistema intermunicipal da Resialentejo - Tratamento e Gestão de Resíduos, EIM

Gerações de Mãos Dadas em Barrancos

A GNR e o projeto CLDS-3G Barrancos, com o apoio do Município de Barrancos, apresentaram no passado dia 6, terça-feira, o programa Gerações de Mãos Dadas - Barrancos". (clicar no link para ver a reportagem completa)
Gerações de Mãos Dadas, é um programa que pretende promover e desenvolver atividades e ações de natureza educativa e cultural e partilha de experiências e saberes entre a população jovem e idosa da zona de ação da GNR, no caso Barrancos.
No programa,  que decorreu no auditório do cineteatro de Barrancos, para além dos soldados da GNR, que fizeram a apresentação, participaram o grupo de teatro da CERCI Beja, o grupo de Sevilhanas Flamenquitas de Barrancos, e o Grupo Coral Feminino Vozes de Barrancos. Na plateia, para além do público em geral e de muitos idosos (os destinatários do programa), estiveram presentes várias turmas do Agrupamento de Escolas de Barrancos.
Abertura do programa
uma das várias cenas do Grupo de Teatro da CerciBeja
Grupo de Sevilhanas Flamenquitas (e seu flamenquito, Ivo)
Grupo Coral Feminino Vozes de Barrancos
Participantes no programa
(Fotos: eB, 06-11-2018)

domingo, 11 de novembro de 2018

O centenário do Armistício - o fim de uma guerra onde (também) esteve um pouco de Barrancos

Passam hoje 100 anos sobre a data da assinatura do Armistício entre os Aliados da Triplice Entente* e a Alemanha (Triple Aliança*), que decorreu dentro de um vagão-restaurante, na floresta de Compiègne, França. O armistício assinala o fim da primeira guerra mundial, que começou a 1 de agosto de 1914, onde Portugal participou com um grande contingente militar, chamado Corpo Expedicionário Português (CEP).
No CEP, que esteve em França entre janeiro de 1917 e junho de 1919, composto por cerca de 75 mil homens, estavam, pelo menos, 27 jovens barranquenhos - um oficial, um sargento e 25 praças - integrados, na sua maioria, nos Regimentos de Infantaria nº 17 (Beja) ou Artilharia nº 3 (Évora). 
Não há relatos de mortos entre os "nossos" militares. Houve vários feridos em combate, com mais ou menos gravidade, com baixas ao hospital; há registos de "desaparecidos"- detidos em campos de prisioneiros na Alemanha (libertados durante, ou só no final do conflito); Há também conhecimento dos que participação na batalha de La Lys, a 09/04/1918, onde as forças portuguesas foram trucidadas, mas resistiram tempo suficiente para permitir aos aliados reforçar e suster a ofensiva.
No final da guerra, alguns optaram por continuar ao serviço das forças armadas (exército), mas a maioria regressou a Barrancos. Aqui, na Terra, retomaram as suas vidas, provavelmente com muitas dificuldades e/ou problemas que não compreendiam: doenças naturais ou adquiridas na guerra; traumas da guerra; inadaptação às rotinas; incompreensão, por parte de família ou amigos;  etc; etc,. 
Para conhecer um pouco mais da história destes nossos Heróis, o eB publicará brevemente um pequeno artigo, no capítulo dos "contributos para a História de Barrancos". Neste, teremos a oportunidade de recordar quem eram os 27 combatentes barranquenhos da grande guerra; que idades tinham; quando embarcaram e quando regressaram, entre outros acontecimentos conhecidos.
O artigo servirá para, simbolicamente, homenagear estes nossos conterrâneos que os leitores do eB nunca terão ouvido falar, ou terão esquecido. Também, diga-se em abono da verdade, que pouco teremos feito para recordar estes notáveis Homens, agradecendo-lhes por terem participado nessa guerra, injusta como todas, em defesa das liberdades e contra os totalitarismos e radicalismos, que ultimamente estão a florescer.
Os Aliados da Primeira Guerra Mundial, a verde no mapa.
Os Impérios Centrais a vermelho, e os estados neutrais a amarelo.
* da Triplice Entente faziam parte a França, a Inglaterra, a Rússia, a Itália, a partir de 1915, os EUA, a partir de 1916, e Portugal, a partir de 1917.  Pela Triple Aliança lutava a Alemanha  e o Império austro-húngaro.
embarque das tropas no porto de Lisboa (1917)
percurso dos navios com as tropas de Portugal até França
(Fotos: daqui)

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

A farmácia de Barrancos celebra o Dia Mundial da Diabetes...

... com rastreios de glicemia e da pressão arterial, no dia 14 de novembro, quarta-feira, a partir das 14 horas.
Comparece
Informe-se na farmácia

Sociedade dos Rapazes - forma de pagamento de quotas e de entrega de propostas para contínuo

De acordo com o comunicado da direção da Sociedade dos Rapazes (SRAB), de 05/11/2018, as quotas em atraso, "passam a ser recebidas pelos membros da direção, todos os dias úteis, das 17 às 19h30, e aos sábados e domingos, das 10 às 12 horas."
Recordamos que a coletividade se encontra "de porta aberta, mas sem serviço de bar/bufete", por falta de contínuo, desde o final de outubro passado, não tendo havido qualquer interessado na sua exploração. 
Ainda, sobre a situação de encerramento temporário, relembramos que a direção aceita "propostas para contínuo", podendo a mesma ser entregue a qualquer membro diretivo, no período acima indicado.
Comunicado da direção da SRAB
Corredor da Sociedade, na tarde do dia 07/10/2018
(Fotos: eB, 07-11-2018)

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Cerva surpreendida a caminho da praça grande de Barrancos

Uma cerva foi "parada"esta tarde, por volta das 13h15, pelo ladrar de um cão quando subia a rua da Igreja (a dos encerros), já passada a porta da GNR em direção à praça grande.
Presume-se que o animal isolado e perdido, terá fugido por qualquer razão da manada da zona das Contendas (espanhola ou ou portuguesa), a poucos quilómetros da Vila de Barrancos.
Rua da igreja, Barrancos, com indicação do local até onde chegou a cerva
(Foto: eB, 07-11-2018)



Praça de Táxi de Barrancos

A praça do (único) Táxi de Barrancos (IMT), de António Gavino Garcia, que estava situada na praça grande, frente à igreja, foi deslocalizada cerca de 20 metros, ficando agora junto à fachada da Junta de Freguesia de Barrancos.
Em caso de necessidade, o contacto do Táxi de Barrancos é o seguinte: tmv 966783221.
antiga "praça de táxi"
nova praça de táxi
(Fotos: eB, 10-10-2018)

Aviso - interrupção no fornecimento de água esta noite, a partir das 22h...

Foto: eB, 06/11/2018

terça-feira, 6 de novembro de 2018

O pôr-do-sol para lá do Cerro do Calvário

Cerro do Calvário, Barrancos, Fotos: eB, 25-09-2018)

Sociedade dos Rapazes - de porta aberta mas sem serviço de bar/bufete

Não houve qualquer interessado(a) na exploração do bar/bufete da Sociedade dos Rapazes. O prazo para apresentação das propostas terminava às 18h00 do dia 2 de novembro de 2018, hora prevista para o início da assembleia-geral extraordinária daquela coletividade. 
Entretanto, segundo soube o eB, a direção "não tem nenhuma previsão para a realização de nova assembleia geral", estando a analisar a situação.
Mais, soube ainda o eB, que a direção está disponível para aceitar e apreciar, segundo o mérito das condições oferecidas, "as propostas que podem ser apresentadas a qualquer momento, tendo como objetivo a concessão/exploração do bar/bufete da sociedade".
Para atenuar o eventual desagrado por parte dos associados, a Sociedade dos Rapazes estará de "porta aberta", sem serviço de bar/bufete, a partir de 5 de novembro, por tempo indeterminado.
Sociedade Recreativa Artística Barranquense (v,g. Sociedade dos Rapazes)
(Foto: eB, 05-11-2018)

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Passamos do verão ao inverno... sem conhecer o outono!

parte da Rua da Boavista, numa tarde de inverno (9ºC) e à espera de chuva
(Foto: eB, 30-10-2018)

Sobre o fim da mudança de hora sazonal na União Europeia

A Comissão Europeia divulgou o projeto de Diretiva Europeia com a qual pretende pôr termo à mudança da hora duas vezes por ano, revogando a Diretiva 2000/84/CE. 
De acordo com o comunicado da Comissão Europeia, de 12 de setembro, "a última mudança obrigatória para a hora de verão ocorrerá no domingo, 31 de março de 2019, após o que os Estados-Membros que pretendam passar de forma permanente para a hora de inverno podem fazer uma última alteração sazonal no domingo, 27 de outubro de 2019". "Após essa data, as mudanças sazonais deixam de ser possíveis", lê-se no documento.
No caso de Portugal, o governo já fez saber que não é favorável ao novo modelo de horário anual, devendo, por isso, manter-se a alteração sazonal da hora (de inverno de de verão). 

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

António Tereno critíca ministra da cultura e diz que “perdeu a oportunidade de ser respeitada por todos, (..) tomou partido pela intolerância”

Na sequência das declarações polémicas da ministra da Cultura, Graça Fonseca, que referiu que a “Tauromaquia não é uma questão de gosto, mas de civilização”, continuam a aparecer reações de vários quadrantes.
Chega-nos agora a reação do ex-Presidente da Câmara Municipal de Barrancos, António Tereno, que através de uma carta aberta comenta as palavras proferidas pela Ministra da Cultura.
Sou um homem da cultura, até pela minha formação académica (História), tive uma “breve” incursão na política local autárquica (24 anos), período em que senti momentos da maior intolerância. Foi durante a chamada “polémica de Barrancos”, em que umas organizações e uns senhores ditos anti-taurinos, melhor como bem o disse na altura o jornalista Miguel Sousa Tavares num dos seus brilhantes escritos, apenas uns “urbano-depressivos”, tentaram impôr a toda uma população os seus padrões ditos civilizacionais visando proibir a secular tradição dos toiros de morte na minha terra, população essa que só estava a defender os seus valores e a sua identidade cultural, na qual se incluía a sua tradição taurina que a vivia desde tempos imemoriais.
Foram tempos difíceis, em que depois de muitas lutas, a vontade dos Barranquenhos e dos muitos amigos aficionados e não aficionados que eram contra todo o tipo de discriminações, venceu e imperou a sensatez, e foi consagrado na Lei um direito que já era nosso.
Hoje não posso acreditar que a mesma intolerância venha de novo assombrar-nos, e pasme-se desta vez pela boca de uma ministra dita da Cultura. Não posso acreditar que um Governo que deve ser da Nação, de todos os portugueses, tenha no seu seio um elemento que se permite de forma leviana, ou não, se calhar de forma intencional ofender e atacar um direito que os outros que também são portugueses, neste caso nós, possamos gostar de toiros e da tauromaquia no seu todo.
Permito-me citar Victorino Martin, um senhor, Presidente da Fundación Toro de Lidia que disse “Todos tenemos un pasado, pero cuando uno representa un cargo público, la cultura está por encima de los gustos personales”.
Alguma vez nós fomos intolerantes, ou atacámos quem não tem as nossas ideias ou os nossos gostos?
Nunca, sempre respeitámos as diferenças de cada um, porque é na diversidade que reside a riqueza cultural deste nosso País.
A dita senhora ministra perdeu a oportunidade de ser respeitada por todos, taurinos ou não, tomou partido pela intolerância, assim sendo não tem condições para estar nesse cargo que obviamente nunca deveria ter ocupado, pelo que se tiver decência demita-se já!
António Pica Tereno
(ex: Presidente da Câmara Municipal de Barrancos)
António e Glicinia Tereno
(Foto: Toureio.pt)

Fim de semana desportivo

Sábado, dia 3 de novembro às 10h30
Campeonato Distrital de Infantis
Barrancos F.C vs C.A Aldenovense
.
Sábado, dia 3 de novembro às 15 horas
Campeonato Distrital da 2ª Divisão
Barrancos FC vs C.D.R Salvadense

*Haverá serviço de bar;
*Pode regularizar as suas quotas