quarta-feira, 18 de julho de 2018

"O Emigrante" - 1º Prémio do Concurso de Cantares Alentejanos de Beja (1973)

"A 23 de Junho de 1973 o Grupo Coral da Casa do Povo de Barrancos venceu o 1º Prémio do III Concurso de Cantares Alentejanos de Beja, promovido pela Comissão Municipal de Turismo, com a moda “O Emigrante”, da autoria de Manuel Torrado Marcelo “Chicuelo”.
A moda, criada em 1972, expressa a experiência e os sentimentos do autor que nesse ano iniciou as campanhas de trabalho em França. Com formação musical e reconhecido como um dos melhores Altos da sua geração, “Chicuelo” foi autor de inúmeras modas que fizeram parte dos repertórios do Grupo Coral da Casa do Povo de Barrancos, e do Grupo Coral “Os Arraianos de Barrancos", formado em 1984.
O trabalho de pesquisa e edição foi realizado no âmbito do projecto de investigação “A cultura expressiva na fronteira luso-espanhola”, INET-md, FCSH NOVA, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)."
In Dulce Simões

terça-feira, 17 de julho de 2018

Estudo do barranquenho vai avançar com equipa da Universidade de Évora

"A Câmara Municipal de Barrancos e a Universidade de Évora vão renovar a cooperação para o estudo do barranquenho e o seu reconhecimento como língua. A candidatura a Património Linguístico Nacional é um processo demorado e complexo.
“Neste momento, está em fase de conclusão um novo protocolo com a Universidade de Évora, com medidas concretas de curto, médio e longo prazo, para o estudo do barranquenho”, incluindo “a elaboração de uma gramática e de um dicionário”. 
O protocolo está a ser preparado em parceria com a equipa de coordenação científica do Programa de Preservação e Valorização do Património Cultural Barranquenho, constituída pelos professores María Victoria Navas, Maria Filomena Gonçalves e Filipe Themudo Barata. 
A informação é de Dalila Lopes, vereadora da Câmara Municipal de Barrancos, que revelou ao “Diário do Alentejo” que a autarquia, em fevereiro deste ano, “retomou o contacto com os investigadores, no sentido de dar continuidade ao estudo do barranquenho e elaborar um programa específico de preservação e valorização da nossa língua, com o objetivo de obter o reconhecimento do barranquenho como língua cooficial minoritária”.
A eleita deu pormenores: “A criação de uma gramática e de um dicionário está dependente de um conjunto de medidas e de iniciativas de curto prazo e de carácter prioritário, que não foram iniciadas, como por exemplo documentar a língua. É necessário estabelecer um plano de trabalho sequencial. As ações que têm sido levadas a cabo, até ao momento, são ações isoladas, sem um plano de trabalho delineado e sem objetivos definidos. O protocolo existente, com a Universidade de Évora, celebrado em fevereiro de 2008, é bastante genérico e não contempla nenhuma ação específica que promova o estudo do barranquenho”.
Processo demorado
Em 2008, o barranquenho foi classificado como Património Imaterial de Interesse Municipal. Uma década depois, em junho de 2017, a Câmara de Barrancos, com o anterior executivo, anunciou que pretendia candidatar o barranquenho a Património Linguístico Nacional, junto do Ministério da Cultura, para ser reconhecido como língua oficial. E, numa outra fase, a Património Cultural Imaterial da Humanidade, junto da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura). Dalila Lopes explica, hoje, que a candidatura a Património Linguístico Nacional “é um processo demorado e complexo”, que “carece de um trabalho prévio devidamente organizado e documentado”. Processo, assegura, que terá início com a assinatura do protocolo em elaboração, ainda em 2018, entre a Câmara de Barrancos e a Universidade de Évora.
Falantes e ensino do barranquenho
O barranquenho é utilizado, hoje em dia, por todas as faixas etárias da população de Barrancos – menos de dois mil habitantes residentes no concelho, mas muitos emigrados na zona da Grande Lisboa e no estrangeiro –, no seu registo oral, mas sobretudo pelos mais idosos, que constituem o grupo de falantes “mais genuíno”.
Dalila Lopes, vereadora com o pelouro da Cultura, na Câmara de Barrancos, explica que “o envelhecimento destes falantes e o seu desaparecimento acarreta a perda irreparável de muitas destas práticas linguísticas e culturais”. 
Segundo a autarca, “a língua está em constante evolução, sendo óbvio que a pressão demográfica, o envelhecimento da população, a influência da escolarização e do uso obrigatório da norma padrão – o português –, e o contacto, cada vez maior, dos residentes com a realidade exterior e com os meios de comunicação têm implicações no registo oral das gerações mais novas, fazendo com que se percam algumas das características da língua”.
Daí, defende a vereadora, “ser urgente fomentar na comunidade uma consciência de defesa deste património único e ímpar no País e na Europa, para que o seu ensino, embora informal, possa ser uma mais-valia para a sua preservação”.
Longo trajeto a percorrer
Acerca da questão do ensino do barranquenho, Bento Caldeira, diretor da Escola Básica Integrada de Barrancos, considera que “um longo trajeto terá de ser percorrido”, por falta de estudos publicados – refere que há ainda insuficientes trabalhos de investigação, desde a Filologia Barranquenha (Apontamentos Para o Seu Estudo), de Leite de Vasconcelos, até ao recente O Barranquenho, de María Victoria Navas –, e esclarece que o agrupamento escolar, nesta fase, “não dispõe de recursos docentes nem documentais para implementar esta medida no currículo”. 
A concretizar-se o ensino do barranquenho, no futuro, “seria certamente uma medida de divulgação e preservação do património histórico e cultural do concelho” e “poderia ser apelativo para o interesse e a motivação dos alunos”. E, claro, é “importante” o esforço que está a ser feito para o reconhecimento do barranquenho como Património Linguístico Nacional e Património da Humanidade.
Quanto ao uso do idioma fora da escola, Bento Caldeira acha que “nos últimos tempos há uma tendência para a diminuição de falar o barranquenho”, predominando “o modo de falar português”. Ainda que, “em determinados espaços frequentados pelos mais velhos”, denote-se “o uso mais profundo do barranquenho”.
texto e fotos; Diário do Alentejo (16-07-2018/

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Animação sociocutural do Lar de Barrancos - publicação on line mensal

O Lar Nossa Senhora da Conceição de Barrancos resolveu divulgar, mediante uma publicação on line, as atividades de animação sociocultural desenvolvida mensalmente com os seus utentes.
Uma boa iniciativa de transparência,  que já vai no segundo número.
Nº 1, abril 2018
nº 2, maio 2018
(captura de imagem LNSCB, 13-06-2018)

sexta-feira, 13 de julho de 2018

BarrancoFest 2018

Enquanto esperamos pela divulgação do programa das festas de Barrancos 2018, aqui deixamos o de BarrancoFest 2018.... em Fitero, Navarra, Espanha, onde até há "artista sorpresa"! É já no próximo fim-de-semana.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Festa do Cante Alentejano - dia 14 de julho, no Cacém...

... com a participação do Grupo Instrumental e Coral do Núcleo dos Amigos do Concelho de Barrancos.

Anomalia climática neste verão 2018

Neste julho, atípico, vamos no terceiro dia de "manhãs de inverno, tarde de verão".
Na manhã do dia 10 de julho, terça-feira, o nevoeiro intenso cobriu repentinamente a vila de Barrancos, entre as 9h/11h, com descida acentuada da temperatura.
Ontem, quarta-feira, o nevoeiro intenso e mijão (cacimba), surgiu logo de manhã bem cedo. O céu encoberto manteve uma temperatura muito abaixo da média, para a época, sobretudo entre as 5 e as 12 horas. De tarde, o sol voltou, mas, tal como no dia anterior, a temperatura não passou dos 31ºC.
Hoje, às 8h00, o céu estava encoberto, com neblina, 19ºC de temperatura (poderá subir até aos 28ºC), vento oeste de 5 km/h, 70% de humidade, e 1015 hpa de pressão atmosférica.
Verão fresquinho, por enquanto!
O nevoeiro do dia 10 de julho...
... o nevoeiro do dia 11 de julho...
... e o neveiro de hoje, dia 12 de julho
(Fotos; eB, 10/12-07-2018)

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Mercado semanal regressa à rua Duque de Cadaval (perto do mercado público)

Segundo o aviso da junta de freguesia de Barrancos, o mercado semanal (vulgarmente conhecidos como "as barracas"), que se realiza habitualmente no segundo, terceiro e último sábado de cada mês, regressa à zona do mercado publico, parcialmente a rua Duque de Cadaval.
Recorde-se que as obras de construção do Lar/Creche de Barrancos, obrigaram a junta de freguesia em 23/04/2009 a mudar o mercado semanal, do largo da feira para a  zona dos Celeiros, sendo depois transferido para o Baldio em 18/11/2009. Entretanto, desde 31/12/2016, o mercado estava localizado na "estrada cortada" (celeiros).
nova localização do mercado semanal
(Inf. elaborada pelo eB, com base imagem google maps)
Aditamento (suspensão da transferência de local)
Afinal o mercado semanal teve de regressar à "estrada cortada", na zona dos celeiros. O elevado número de feirantes e a falta de espaço e de condições da zona "duque de Cadaval", levaram à suspensão da decisão da transferência, na manhã do dia 14 de julho, sábado.

terça-feira, 10 de julho de 2018

As escadarias do cerro - circuito de downhill?

Os 125 degraus desta escadaria esperam por si, para subir ou para descer, desfrutando sempre duma paisagem única.  E ao mesmo tempo pode fazer exercício físico.
As escadas do cerro poderão servir de circuito de downhill. A explorar.
A subir, a partir da zona do Bairro do Espanhóis...

... e a descer. (Fotos: eB, 12-06-2018)
(ver mais aqui)

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Festas de Barrancos 2018 - matador de touros Morante de la Puebla quer regressar a Barrancos

Segundo a revista de tauromaquia Aplausos, o matador de touros, Morante de la Puebla, que está a fazer uma temporada de despedida dos ruedos, revelou o desejo de voltar a tourear em Barrancos - “Me gustaría volver a torear allí, estuve de novillero junto a Antonio Ferrera. Allí se matan los toros, pero no se pican… una cosa rara”, señala el sevillano.". 
Enretanto, Pedro Marques, amigo português do toureiro, citado pelo Farpas, acrescenta que pode contactar a organização das corridas em Barrancos e transmitir-lhe esse seu desejo. Seria uma coisa única, Morante e Ferrera em Barrancos!, afirma.
Fotos: AplausoS, 06-07-2018

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Touradas - hoje a votos no parlamento

Vale a pena ler o excelente artigo de Luís Capucha, hoje no DN, sobre "defender a tauromaquia é defender a democracia", ou o artigo de opinião do deputado do PSD Nuno Serra, eleito por Santarém, ou ainda aqui, do António Eloy, todos sobre o projecto-lei antitaurino que vai hoje a votação no parlamento, que pretende abolir as touradas em Portugal
Até ao momento, sabe-se já que a proposta do PAN terá os votos contra do CDS-PP, Partido Comunista (PCP) e Verdes (PEV). O PSD e o PS deverão dar liberdade de voto aos respectivos deputados.
Entretanto, aqui ao lado, em Espanha, os parlamentos das regiões de Madrid e da Andaluzia, chumbaram há dias as propostas apresentadas pelo Podemos que tinham por intuito restringir a actividade tauromáquica naquelas comunidades autónomas. Os projetos do Podemos,  foram ambos chumbados com os votos do PSOE, PP e Ciudadanos.
Barrancos 2012
Foto: arquivo eB, 29-08-2012)
Aditamento
O Projecto de Lei do PAN (que pode consultar AQUI), obteve os votos favoráveis do PAN, BE e Verdes, bem como de oito deputados do PS e um do PSD, as abstenções de 12 deputados do PS e um deputado de BE e PSD, tendo tido os votos Contra da maioria dos deputados do PS, PSD, CDS e PCP.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Sociedade dos Rapazes - eleitos os órgãos sociais 2018

A Sociedade Recreativa Artística Barranquense, reunida em assembleia-geral extraordinária, no passado dia 29 de junho, procedeu à eleição dos novos órgãos sociais para 2018 constantes da lista abaixo indicada:
Aviso afixado no placard da SRAB
(Foto: eB, 03-07-2018)

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Jornadas parlamentares do PS "trouxeram deputados a Barrancos"

No âmbito das Jornadas Parlamentares do PS, que decorreram em Beja e Évora, nos dias 2 e 3 de julho, os deputados socialistas visitaram os municípios da região. Em Barrancos, estiveram na segunda-feira, dia 2, os deputados João Soares, João Castro, Pedro Delgado Alves, António Gameiro, Hugo Pires e Hugo Costa, para contacto com as instituições e empresas.
receção no centro da Vila de Barrancos, pelo presidente da CMB, J. Serranito Nunes
e vereadoras Dalila Lopes e Manuela Lopes
receção oficial no salão nobre dos Paços do Município
visita à Casa do Porco Preto
(Fotos: Cortesia Pedro Alves)