sexta-feira, 2 de novembro de 2018

António Tereno critíca ministra da cultura e diz que “perdeu a oportunidade de ser respeitada por todos, (..) tomou partido pela intolerância”

Na sequência das declarações polémicas da ministra da Cultura, Graça Fonseca, que referiu que a “Tauromaquia não é uma questão de gosto, mas de civilização”, continuam a aparecer reações de vários quadrantes.
Chega-nos agora a reação do ex-Presidente da Câmara Municipal de Barrancos, António Tereno, que através de uma carta aberta comenta as palavras proferidas pela Ministra da Cultura.
Sou um homem da cultura, até pela minha formação académica (História), tive uma “breve” incursão na política local autárquica (24 anos), período em que senti momentos da maior intolerância. Foi durante a chamada “polémica de Barrancos”, em que umas organizações e uns senhores ditos anti-taurinos, melhor como bem o disse na altura o jornalista Miguel Sousa Tavares num dos seus brilhantes escritos, apenas uns “urbano-depressivos”, tentaram impôr a toda uma população os seus padrões ditos civilizacionais visando proibir a secular tradição dos toiros de morte na minha terra, população essa que só estava a defender os seus valores e a sua identidade cultural, na qual se incluía a sua tradição taurina que a vivia desde tempos imemoriais.
Foram tempos difíceis, em que depois de muitas lutas, a vontade dos Barranquenhos e dos muitos amigos aficionados e não aficionados que eram contra todo o tipo de discriminações, venceu e imperou a sensatez, e foi consagrado na Lei um direito que já era nosso.
Hoje não posso acreditar que a mesma intolerância venha de novo assombrar-nos, e pasme-se desta vez pela boca de uma ministra dita da Cultura. Não posso acreditar que um Governo que deve ser da Nação, de todos os portugueses, tenha no seu seio um elemento que se permite de forma leviana, ou não, se calhar de forma intencional ofender e atacar um direito que os outros que também são portugueses, neste caso nós, possamos gostar de toiros e da tauromaquia no seu todo.
Permito-me citar Victorino Martin, um senhor, Presidente da Fundación Toro de Lidia que disse “Todos tenemos un pasado, pero cuando uno representa un cargo público, la cultura está por encima de los gustos personales”.
Alguma vez nós fomos intolerantes, ou atacámos quem não tem as nossas ideias ou os nossos gostos?
Nunca, sempre respeitámos as diferenças de cada um, porque é na diversidade que reside a riqueza cultural deste nosso País.
A dita senhora ministra perdeu a oportunidade de ser respeitada por todos, taurinos ou não, tomou partido pela intolerância, assim sendo não tem condições para estar nesse cargo que obviamente nunca deveria ter ocupado, pelo que se tiver decência demita-se já!
António Pica Tereno
(ex: Presidente da Câmara Municipal de Barrancos)
António e Glicinia Tereno
(Foto: Toureio.pt)

1 comentário:

Antónia Bergano disse...

BOA TARDE JACINTO...VOU LEVAR... ACHO MUITO BEM.
ABRAÇO ANTÓNIA